Aumento no consumo de ultraprocessados pode levar ao desenvolvimento de câncer

Pesquisa francesa acompanhou 105 mil pessoas por cinco anos

Uma pesquisa realizada por estudiosos da Universidade de Sorbonne, na França, e publicada pela revista especializada British Medical Journal, relaciona o consumo de alimentos ultraprocessados à incidência de câncer. Apesar de evidências mais consistentes serem necessárias, trata-se de uma perspectiva inicial que não pode ser ignorada.

A pesquisa foi tema de uma reportagem da rede BBC Brasil. De acordo com a publicação, os estudiosos acompanharam durante cinco anos cerca de 105 mil pessoas e, a partir de questionários sobre hábitos alimentares, eles concluíram que quanto maior o consumo de produtos como doces industrializados, refrigerantes e macarrão instantâneo, maior o risco de câncer.

Aumento da incidência de câncer

Durante o estudo, foi detectada uma média de 18% da dieta dos participantes composta por alimentos ultraprocessados. A partir daí, foram identificados casos de câncer em uma proporção de 79 casos para cada 10 mil pessoas por ano. Segundo os pesquisadores, aumentar a proporção de alimentos ultraprocessados em 10% provocaria nove casos extras de câncer por ano nesse universo.

A BBC aponta que o estudo está longe de trazer conclusões definitivas sobre o tema e lembra que outros fatores devem ser levados em conta. Por exemplo, os participantes que consumiam muita comida ultraprocessada eram mais propensos a fumar e a tomar contraceptivos orais – fatores considerados de risco para o desenvolvimento de câncer.

Os pesquisadores, por outro lado, alertam que o consumo em expansão acelerada de alimentos ultraprocessados pode gerar um aumento da incidência de câncer nas próximas décadas.

A reportagem completa da BBC Brasil pode ser lida aqui.

Deixe uma resposta

© 2017 - Aliança pela Alimentação Adequada e Saudável. Todos os direitos reservados.

%d blogueiros gostam disto: