Escola sem refrigerante

Apoie o Projeto de Lei que proíbe a venda de refrigerante em escolas públicas e privadas de ensino básico.

Assine a petição

Escola sem refrigerantes

Leia a petição

Compartilhe:

   

O Projeto de Lei (PL) 1755/2007, que proíbe a
venda de refrigerantes em escolas públicas e privadas do 1º ao
9º ano, é de extrema importância para promover uma alimentação mais saudável nestes ambientes e frear a escalada da obesidade, que já atinge níveis alarmantes no Brasil e no mundo.

De autoria do Deputado Fábio Ramalho (PMDB/MG), o PL foi aprovado em agosto de 2017 pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC) da Câmara dos Deputados e agora pode ser votado no Plenário da Câmara dos Deputados a qualquer momento.

Conheça quais parlamentares receberão a petição

 

Por que o PL/1755 é tão importante?

Nos últimos
20 anos,
a frequência do excesso de peso
praticamente TRIPLICOU
entre a população de 5 a 19 anos.

 

Atualmente
1 em cada
3 crianças
com idade entre 5 a 9 anos está com
excesso de peso ou OBESIDADE

Fonte: Dados da Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF 2008-2009), realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

DE OLHO NAS ESCOLAS

Crianças e adolescentes brasileiros passam boa parte do dia no ambiente escolar, portanto é essencial que este espaço favoreça escolhas alimentares saudáveis e evite a oferta de refrigerantes, pois são bebidas que contêm uma quantidade excessiva de açúcar.

PRODUTOS INADEQUADOS

Refrigerantes e outras bebidas adoçadas (néctares, refrescos e bebidas lácteas, por exemplo) não são recomendados como parte de uma alimentação adequada e saudável, de acordo com o Guia Alimentar da População Brasileira, elaborado pelo Ministério da Saúde.

Risco à Saúde

A Organização Mundial da Saúde (OMS) já apontou as bebidas adoçadas como uma das principais causas da obesidade e do diabetes.

CONSEQUÊNCIAS FATAIS

O excesso de peso e a obesidade, por também serem fatores de risco para diabetes, pressão alta e câncer, têm se mostrado como uma das causas mais preocupantes no que se refere ao risco de morte segundo a OMS.

O peso do açúcar Em uma lata de refrigerante há cerca de 37g de açúcar, o equivalente a cerca de 9 colheres de chá. A OMS recomenda a ingestão diária de açúcar de até 25g por pessoa, o que equivale a 6 colheres de chá.

É nesse sentido que a Aliança defende a aprovação do PL 1755/2007 e entende que é preciso ampliar a proposta para a proibição de néctares, refrescos, chás prontos e bebidas lácteas nas escolas, pois são produtos que contêm excesso de açúcar.

Cabe ao Estado adotar medidas que garantam a proteção de crianças e adolescentes, pois tratam-se de direitos fundamentais defendidos na Constituição e que devem se sobrepor a qualquer interesse do mercado.

É por meio de políticas públicas que priorizam a alimentação adequada e saudável que esses direitos poderão ser exercidos de forma plena e eficiente.

© 2017 - Aliança pela Alimentação Adequada e Saudável. Todos os direitos reservados.

%d blogueiros gostam disto: