Nestlé é acusada de usar estratégias antiéticas de marketing

Relatório analisou produtos do segmento de fórmulas lácteas vendidos em 40 países

Um relatório recente classifica de antiéticas as estratégias de marketing empregadas pela multinacional suíça Nestlé para vender fórmulas lácteas, segmento no qual a empresa é líder de mercado.

De acordo com o documento da entidade Changing Markets Foundation, inconsistências identificadas na promoção dos produtos lançam dúvidas sobre a credibilidade da empresa. Reportagens publicadas sobre o tema, no Brasil e no exterior, relatam que foram analisados mais de 70 produtos da marca vendidos em 40 países e voltados para bebês menores de 12 meses.

Em alguns casos, por exemplo, a Nestlé anuncia que suas fórmulas são “inspiradas no” e “parecidas com o” leite materno, associação que contraria regras estabelecidas pela Organização Mundial da Saúde (OMS), segundo o jornal britânico The Guardian. Em outro caso reportado, a empresa utiliza sacarose nas fórmulas vendidas na África do Sul, sendo que em locais como Brasil e Hong Kong ela mesma afirma que suas fórmulas são livres de sacarose para “o bem da saúde do bebê”.

“Nós entendemos que as companhias manipulam as emoções dos consumidores para vender seus produtos, mas esse comportamento é particularmente antiético quando se trata de bebês vulneráveis”, disse ao The Guardian Nusa Urbancic, porta-voz da Changing Markets. “Se a ciência é clara de que um ingrediente é seguro e benéfico para os bebês, então esse ingrediente deveria estar em todos os produtos. Se um ingrediente não é saudável, como a sacarose, então ele não deve estar em produto algum. A inconsistência da Nestlé nesse caso levanta sérias dúvidas a respeito de seu comprometimento com a ciência.”

A empresa afirmou que irá responder em breve.

Leia mais sobre o caso nos sites Exame.com e Folha.com, em português, ou no site do The Guardian, em inglês. O relatório completo da Changing Markets está disponível  no site da instituição (em inglês).

 

Deixe uma resposta

© 2017 - Aliança pela Alimentação Adequada e Saudável. Todos os direitos reservados.

%d blogueiros gostam disto: