Postingan itu didapat dari pendeta bernama Juan Manuel Peramas. Ia sudah melaporkan kalau kaum agen sbobet terpercaya Guarani sudah main memakai bola yang mempunyai materi dasar karet, namun mempunyai berat yang lumayan enteng, alhasil hendak kilat kala ditendang.

Setelah itu bola hendak memantul dengan kilat saat sebelum dapat menyudahi. Guarani pula memainkan agen bola bola bukan memakai tangan mereka semacam yang mereka jalani, namun memakai kaki dalam mereka. Postingan ini merupakan fakta kalau Inggris tidak pencipta game sepakbola.

Nutricionista mineira cria paródia em defesa da cantina saudável

Publicado em 14 de novembro de 2019

Música tem como objetivo informar e alertar sobre a importância da alimentação saudável no ambiente escolar 

Foto: Istock

Quem não conhece a música Trem-Bala da cantora Ana Vilela? Pensando na força da letra cantada por crianças e adultos, Tânia Bicalho, nutricionista e membro do Núcleo Minas Gerais da Aliança, fez uma paródia para alertar sobre a importância da alimentação saudável nas escolas mineiras. Em junho de 2019, o decreto que definia as regras para a comercialização de alimentos não saudáveis nas escolas públicas e privadas de Minas Gerais foi suspenso por 240 dias pelo governador Romeu Zema.

De acordo com o decreto, a venda de alimentos com alto teor de calorias, gordura saturada, gordura trans, açúcar livre e sal ou com poucos nutrientes estaria vetada nas escolas do estado. A proibição se estendia a serviços próprios da escola ou terceirizados, como cantinas e lanchonetes, e vendedores ambulantes que ficam na porta das escolas.

Com a suspensão do decreto, o Governo de Minas adia ainda mais uma espera que já dura 15 anos. Em um país com níveis alarmantes de sobrepeso e obesidade infantil, a educação alimentar deve estar acompanhada de medidas do poder público que incentivem a criação de ambientes alimentares realmente saudáveis, seja para os alimentos ofertados na rede pública seja para o que é comercializado nas cantinas da rede privada. “Uai, Zema. Por que guloseimas quer incentivar?”, pergunta a nutricionista e cantora.

Tânia Bicalho é a criadora da MPN – Música Popular Nutritiva. No seu canal no Youtube, nas escolas e eventos pelo Brasil, a nutricionista faz o que mais gosta, que é sensibilizar sobre a importância da comida de verdade de forma leve e lúdica com a ajuda da música.

Como surgiu a Música Popular Nutritiva – MPN?

Como a música sempre me regeu, em 2011 me formei em Nutrição e meu TCC foi sobre “mudança do ritmo de vida a partir da alimentação/nutrição”.  Gravei  um  CD, apoiado pela Lei Murilo Mendes de Incentivo à Cultura (Juiz de Fora)  e as músicas tratavam de “resgate de comida de verdade”, ou seja, valorização de  alimentos  naturais e preparações culinárias simples,  porém com alto valor nutritivo, saborosas  e  saudáveis.  Dois dias após apresentar meu TCC, fui convidada para dar palestra na UNIFAL (Universidade Federal de Alfenas) e de lá para cá não parei mais. O CD MPN teve muitos desdobramentos e hoje é meu estilo musical. Eu sempre trabalhei com MPB e hoje atuo levando palestras-show, com muita  MPN,  para pessoas de todas as idades e classes  sociais.

Como você percebe a importância do uso de outras linguagens, expressões e ferramentas (como a música) para sensibilizar as crianças e os adultos para a alimentação saudável? Como a arte pode ajudar?

Por se tratar de uma linguagem universal a música tem poder de aproximar as pessoas. A arte quebra a monotonia e pode oferecer informações de maneira  criativa e lúdica. Neste sentido, a comunicação  artística  é  excelente  ferramenta de trabalho para sensibilizar as pessoas sobre a importância de se ter uma alimentação variada e equilibrada.

Como surgiu a ideia de criar a paródia Uai Zema em apoio ao decreto 47557? 

Quando tive conhecimento da suspensão do decreto e seus desdobramentos, conversei com outros integrantes do Núcleo Minas Gerais da Aliança pela Alimentação Adequada e Saudável e decidi fazer a paródia. Minha inspiração surgiu de minha necessidade de me expressar e me posicionar em relação ao decreto. Como de costume, o fiz a partir da música.

Eu acredito que os vendedores (que trabalham no entorno das escolas) e cantineiros  precisam ter acesso à educação alimentar e nutricional. Eu gostaria muito que o governador apoiasse e viabilizasse a educação  alimentar e nutricional para todos.  O governo se preocupa tanto com finanças e no entanto parece se esquecer que promover saúde culmina em evitar internações e outros gastos  para o sistema público de saúde.

Você faz muitos trabalhos em escolas públicas e privadas. Como você vê a questão das cantinas e das escolhas alimentares dos alunos?

Em Juiz de Fora, onde moro, pouquíssimas cantinas se preocupam em fornecer alimentação variada e saudável, inclusive cantinas de  universidades públicas e particulares. Por isto insisto que a educação alimentar e nutricional deveria ser prioritária, ensinada em escolas públicas, particulares e viabilizada, no formato de oficinas, por exemplo,  para  toda população, principalmente vendedores ambulantes e cantineiros.

O ambiente alimentar influencia estas escolhas?

Com toda certeza. Percebo  que muitos alunos compram alimentos processados e/ou ultraprocessados por falta de opção. As indústrias alimentícias geram empregos, portanto também são importantes para a economia de nosso país. Por isso defendo o equilíbrio, ou seja, a alimentação natural, variada e saudável precisa ser divulgada e valorizada para que as crianças entendam a história, as influências de outros países e a diversidade/riqueza de nossa cultura alimentar mineira/brasileira.  Minha luta também é pela viabilização da educação alimentar e nutricional para toda sociedade.

E no YouTube, como tem sido esta pressão sobre a infância?

A pressão é grande, pois ultraprocessados são muito valorizados e a indústria de alimentos e suplementos, ditos fitness, também está nesta bolha. Existe muita propaganda/promoção de shakes, “fórmulas mágicas” etc que prometem emagrecimento, energia, força e  saúde.  O meu trabalho é voltado para nutrição comportamental e eu valorizo a “comida de verdade”.

Como integrante do Núcleo MG da Aliança pela Alimentação Adequada e Saudável, como você vê a importância do trabalho em rede para a promoção da alimentação saudável nas escolas?

Acho extremamente importante o trabalho em rede, pois  essa capilarização potencializa a possibilidade de conscientizar um maior número de pessoas (entre elas crianças, professores, cantineiros, funcionários das escolas e pais dos alunos) sobre a importância da alimentação saudável e  da “comida de verdade”  em nossas vidas.

 

Deixe o seu comentário

© 2017 - Aliança pela Alimentação Adequada e Saudável. Todos os direitos reservados.