O que tem dentro de uma lata de refrigerante? Água, concentrado, muitos aditivos químicos e sete colheres e meia de açúcar, quantidade maior do que a recomendada para um dia inteiro, pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Para mostrar as evidências científicas sobre as doenças associadas ao consumo de refrigerantes e outras bebidas açucaradas, a ACT Promoção da Saúde e a Aliança pela Alimentação Adequada e Saudável lançam uma nova fase da campanha de mídia de massa que pretende sensibilizar o público sobre os malefícios à saúde provocados por refrigerantes, sucos de caixinha e chás ultraprocessados, e também pedir apoio da população para uma política pública capaz de reduzir o consumo de açúcar: a tributação das bebidas açucaradas. Participe em: https://www.tributosaudavel.org.br/

Com o slogan “Tributo Saudável: bom para economia, melhor ainda para a saúde”, a campanha mostra a quantidade excessiva de açúcar na composição das bebidas açucaradas, o alto consumo destes produtos no Brasil, e as doenças e os custos para economia associados a esses produtos. E informa ao público sobre a pertinência do aumento de imposto sobre bebidas açucaradas, uma política pública recomendada pela OMS para reduzir o consumo de açúcar pela população, prevenir doenças e reduzir custos para o Sistema Único de Saúde, medida já adotada em mais de 50 países e cidades do mundo.

O lançamento da campanha foi em um anúncio, em jornal de grande circulação, assinado por algumas das organizações que apoiam a tributação das bebidas açucaradas no Brasil: Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS Brasil), Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM), Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica (Abeso) e a Federação Internacional das Associações dos Estudantes de Medicina do Brasil (IFMSA Brazil).

Outra peça de destaque da campanha é um vídeo de 30 segundos, que informa a quantidade de açúcar em uma lata de refrigerante e as doenças associadas às bebidas açucaradas. E que conta com a participação do Fabiano Luder, que teve uma perna amputada em decorrência da diabetes tipo 2, mostrando uma das drásticas consequências do consumo excessivo das bebidas açucaradas. O vídeo será transmitido em grandes canais de TV aberta e fechada, além de redes sociais.

“As grandes marcas fabricantes de bebidas açucaradas investem milhões de dólares, em todo o mundo, para moldar a percepção pública e naturalizar o consumo de  refrigerantes e outras bebidas. Nossa campanha é uma forma de revelar o que as  indústrias se esforçam tanto para ocultar da população: as evidências científicas que  comprovam a associação desses produtos a várias doenças graves, que podem levar  até à morte”, afirma Paula Johns, diretora-geral da ACT Promoção da Saúde e integrante do conselho gestor da Aliança. “É uma  verdade indigesta, mas é direito da população saber que refrigerantes e bebidas  adoçadas fazem mal à saúde e que o Brasil precisa reduzir imediatamente o consumo  desses produtos. E para isso, mudanças individuais não são suficientes, precisamos  de políticas públicas que criem ambientes favoráveis para escolhas saudáveis da  população, como é o caso da tributação de bebidas adoçadas”, conclui Paula. 

%d