Consumidores mais bem informados são capazes de fazer melhores escolhas em direção a uma alimentação mais saudável.

PESQUISA CONFIRMA A EFICÁCIA DA ROTULAGEM DE ADVERTÊNCIA EM FORMATO DE TRIÂNGULO

Para avaliar qual o modelo de rotulagem nutricional é o melhor para a população brasileira, o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) realizou diversas pesquisas ao longo do ano de 2017*.

Uma das preocupações desses estudos foi identificar qual modelo seria o mais compreensível e de fácil entendimento para a maioria das pessoas. Dessa forma, em uma das pesquisas**, os participantes foram questionados sobre quais nutrientes eles consideravam que estavam acima do recomendado para uma alimentação saudável em diversos produtos.

76% deles identificaram corretamente o nutriente crítico em excesso ao verem o modelo do triângulo na embalagem do produto, enquanto apenas 61% identificaram corretamente o nutriente em excesso quando apresentados ao modelo do semáforo, defendido pela indústria de alimentos.

Isso quer dizer que, quando nivelamos esses números ao tamanho da população, temos a informação de que cerca de 8 em cada 10 brasileiros entendem o que estão comendo com a inclusão da advertência em formato de triângulo na parte da frente da embalagem.

Assine a petição

Rotulagem Adequada Já!

Mensagem a ser enviada nesta campanha:

Senhores Diretores da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa),

Considerando que é um direito básico do consumidor “a informação adequada e clara sobre os diferentes produtos e serviços, com especificação correta de quantidade, características, composição, qualidade e preço, bem como sobre os riscos que apresentem”, conforme previsto no Código de Defesa do Consumidor (CDC);

Considerando que as regras vigentes sobre informação nutricional nos rótulos de alimentos no Brasil não garantem o direito à informação sobre a composição e a qualidade nutricional dos alimentos devido a vários problemas de visualização e compreensão do conteúdo e de mensagens contraditórias na parte frontal da embalagem;

Considerando a experiência bem sucedida do Chile em adotar um modelo de rotulagem nutricional frontal de advertências com a utilização de texto com linguagem direta e simples, o uso da alusão gráfica do octógono que remete a uma placa de “Pare” e o uso da cor preta;

Considerando a importância do alinhamento da rotulagem nutricional com o Guia Alimentar para a População Brasileira, que tem como princípio que as escolhas alimentares devem levar em conta a extensão e o propósito do processamento industrial dos alimentos;

Considerando as recomendações de organismos internacionais de saúde incluindo a Organização Mundial da Saúde e a Organização Pan-Americana da Saúde, de que a adoção de regras de rotulagem de alimentos adequadas contribuem para melhores escolhas alimentares e consequentemente para a prevenção da obesidade, hipertensão, diabetes e outras doenças crônicas;

Considerando as evidências internacionais de que a informação nutricional complementar disposta na parte da frente da embalagem, com mensagens e símbolos simples e de fácil visualização, é benéfica para o entendimento dos consumidores e influencia na mudança da intenção de compra dos alimentos;

As organizações e pessoas físicas que assinam esta petição manifestam sua posição favorável à adoção da proposta de rotulagem nutricional apresentado pelo Idec (Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor), com o apoio de pesquisadores em design da informação UFPR (Universidade Federal do Paraná), para a Anvisa.

**your signature**

Compartilhe:

   

Mais de 90 mil pessoas apoiam essa proposta!

*As pesquisas foram realizadas em parceria com o Núcleo de Pesquisas Epidemiológicas em Nutrição e Saúde da Universidade de São Paulo (NUPENS/USP) e pesquisadores da Universidade Federal do Paraná (UFPR). A criação e a definição do modelo de rotulagem proposto levou em consideração as opiniões da população e de especialistas sobre linguagem e design.

**Acesse aqui a pesquisa completa sobre a efetividade dos triângulos.

Esses resultados indicam que o selo de advertência em formato de triângulo fornece uma informação mais compreensível para a maior parte da população brasileira.

Modelo do triângulo é mais confiável

A pesquisa também incluiu questões para os participantes responderem dando notas em uma escala com numeração de 1 a 7 – em que os extremos representam sentidos negativos e positivos, respectivamente. As propostas utilizadas na pesquisa foram a do triângulo e a do semáforo.

O triângulo, comparado ao semáforo, foi eleito como a forma mais confiável para transmitir a informação nutricional sobre os produtos.

Foi constatado também que o modelo do semáforo não afeta a percepção do consumidor sobre a qualidade nutricional de um produto. Quando os participantes foram questionados se achavam que os produtos eram saudáveis, deram praticamente a mesma nota para produtos sem nenhum rótulo frontal e para os que continham a rotulagem de semáforo.

Esse resultado demonstra que a inclusão do semáforo no rótulo frontal de um produto não fornece informação a mais ou diferente daquela já presente na atual rotulagem brasileira. Ou seja, não faz diferença alguma.

O modelo em formato de triângulo recebeu maior pontuação do que o modelo de semáforo para o quesito atenção.

A partir dos resultados apontados,
fica evidente que a opção que
garante informação clara e ajuda a
população a fazer escolhas mais
saudáveis
é a rotulagem frontal de
advertência em formato de triângulo.

© 2017 - Aliança pela Alimentação Adequada e Saudável. Todos os direitos reservados.

%d blogueiros gostam disto: