PESQUISA CONFIRMA A EFICÁCIA DA ROTULAGEM DE ADVERTÊNCIA EM FORMATO DE TRIÂNGULO

Para avaliar qual modelo de rótulo frontal é o melhor para a população brasileira, o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) realizou diversas pesquisas ao longo do ano de 2017*.

Dentre os aspectos abordados nesta fase, destaca-se a compreensão dos rótulos. De modo objetivo, os participantes da pesquisa foram questionados sobre quais nutrientes estavam acima do recomendado para uma alimentação saudável em diversos  produtos.

76% deles identificaram corretamente o nutriente crítico em excesso ao verem o modelo do triângulo na embalagem do produto, enquanto apenas 61% identificaram corretamente o nutriente em excesso quando apresentados ao modelo do semáforo, defendido pela indústria de alimentos.

Isso quer dizer que, quando nivelamos esses números ao tamanho da população, temos a informação de que cerca de 8 em cada 10 brasileiros entendem o que estão comendo com a inclusão dos selos de advertência em formato de triângulo na frente da embalagem.

Esses resultados indicam que o selo de advertência em formato de triângulo fornece uma informação mais compreensível para a maior parte da população brasileira.

*As pesquisas foram realizadas em parceria com o Núcleo de Pesquisas Epidemiológicas em Nutrição e Saúde da Universidade de São Paulo (NUPENS/USP) e pesquisadores da Universidade Federal do Paraná (UFPR). A criação e a definição do modelo de rotulagem proposto levou em consideração as opiniões da população e de especialistas sobre linguagem e design.

Modelo do triângulo é mais confiável

A pesquisa também incluiu questões para os participantes responderem dando notas em uma escala com numeração de 1 a 7 – em que os extremos representam sentidos negativos e positivos, respectivamente. As propostas utilizadas na pesquisa foram a do triângulo e a do semáforo.

O triângulo, comparado ao semáforo, foi eleito como a forma mais confiável para transmitir a informação nutricional sobre os produtos.

 

*significativamente diferente do semáforo


Foi constatado também que o modelo do semáforo não afeta a percepção do consumidor sobre a qualidade nutricional de um produto. Quando os participantes foram questionados se achavam que os produtos eram saudáveis, deram praticamente a mesma nota para produtos sem nenhum rótulo frontal e para os que continham a rotulagem de semáforo.

Esse resultado demonstra que a inclusão do semáforo no rótulo frontal de um produto não fornece informação a mais ou diferente daquela já presente na atual rotulagem brasileira. Ou seja, não faz diferença alguma.

*significativamente diferente do semáforo


O modelo em formato de triângulo recebeu maior pontuação do que o modelo do semáforo para o quesito atenção.

 

*significativamente diferente do semáforo

A partir dos resultados apontados, fica evidente que a opção que garante informação clara e ajuda a população a fazer escolhas mais saudáveis é a rotulagem frontal de advertência em formato de triângulo.

© 2017 - Aliança pela Alimentação Adequada e Saudável. Todos os direitos reservados.

%d blogueiros gostam disto: